Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Quarta-Feira,
26 de Setembro de 2018




Trabalhe Conosco
A "satisfação" que não satisfaz

Quando a alegria de viver dura apenas alguns momentos, e o vazio predomina; quando a vida perde o sentido e o sentimento de culpa e de solidão atormentam; quando a satisfação não satisfaz, talvez o problema esteja na fonte, no lugar onde busca alegria, realização, companhia e vida.



Estilo de Vida
: De que valem os prazeres mundanos, se não são capazes de tornar os momentos de satisfação tão duradouros quanto precisamos?. Mas  se o que importa é o momento, como explicar a sensação de vazio indesejável, de culpa e de uma certa “ressaca”? Se alguma coisa não vai bem, depois do experimentar desses momentos, se pensarmos pela  lógica, a saída pode não ser  bem essa que se costuma procurar para se distrair.

Há os que querem e buscam preencher seu vazio, de maneira sugestionável, até mesmo valendo-se de meios mais cômodos, motivados por grupos de amigos, que também procuram a mesma coisa.  Assim, parece que o apoio de outras pessoas, torna esse “peso” mais leve naquele instante. Divide-se no momento, até o peso da “culpa”.

Por outro lado, os que se justificam e  que se dizem bem “resolvidos” consigo mesmos, no fundo, querem “disfarçar” até inconscientemente sua insuficiência, entregando-se aos prazeres, o que parece mais um subterfúgio.

Afinal, de que vale isso se ninguém consegue fugir de si mesmo? De que vale tudo isso, se ninguém lhe conhece melhor do que você mesmo e que saiba o que lhe acontece quando as luzes se apagam e ao travesseiro reclina a sua cabeça?

Atendendo aos apelos da carne, o homem busca preencher o vazio da vida no que lhe satisfaz apenas por alguns momentos, e nada mais que isso. Para uns é a comida e a  bebida; e para muitos outros, são os divertimentos e entrega às paixões sensuais; o consumismo insaciável; a prática de alguma atividade que aumente a adrenalina vivendo perigosamente.  Tudo isso, porém, tem ofuscado a visão das coisas espirituais e eternas.  Procuram preencher o lugar, que talvez não saibam ser de Deus, por algo raso, meramente superficial e passageiro e, acabam se vendo “perdidos”, sem saber o que fazer, pois aquele “vazio” continua, virando um círculo vicioso.  Assim, a vida se esvai, sem que se dê oportunidade  para experimentar o melhor que ela tem.

O que vem depois das noitadas em claro  e  bebedeiras?. O que vem depois da torcida de uma partida sangrenta de futebol ou de um banquete intemperante?.

O homem sensato tem o seu prazer na lei de Deus e na sua lei medita em todo o tempo.

A lei de Deus foi dada para que o homem vivesse bem e em harmonia na terra, em todos os aspectos. Observe o que diz o salmista: ”Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia”. Salmos 119:77. Aquele que vive de acordo com a lei de Deus, desfruta do seu cuidado e experimenta o verdadeiro prazer dessa vida, e terá vida plena no futuro, eternamente.


Elias Teixeira

Apresentador da rede Novo Tempo de Rádio e Televisão


  Envie a um amigo

Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial