Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Quarta-Feira,
26 de Setembro de 2018




Trabalhe Conosco
Que Comece Por Mim

Esse é um texto escrito para você que é funcionário de alguma empresa que pode estar vivendo situação difícil, causando estresse no trabalho.

São Paulo, 04.03.2009

SAÚDE
Por Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Já dirigiu um carro com câmbio automático? Eu já. E é um conforto. Basta acelerar e frear. Ele passa as marchas sozinho. Em trânsito engarrafado, nada melhor. Funcionamos assim, no “automático”. Ou no “manual”. A maioria funciona no automático, o que significa que não pensa, ou pensa pouco, agindo mais pelo impulso, pelo habitual. Levanta da cama, troca de roupa, come algo, faz sua higiene pessoal, vai trabalhar, almoça, volta a trabalhar, sai do trabalho, faz alguma compra, volta para casa, janta, toma um banho, assiste TV, resolve algo na família, vai dormir, levanta na manhã seguinte, etc. Isto é o automático.

Funcionar no “manual” significa pensar no que faz ou não faz, no que desejar da vida, o que dizer, o que quer dizer, que alvos tem para alcançar, que emoções sente e quando, como se relacionar com as pessoas, quão eficaz é seu trabalho, como funcionar na relação familiar, etc. Agir assim dá mais trabalho, é bem diferente de agir no automático. Nesse agir com o “câmbio manual” você requisita mais de si mesmo porque pensa mais, reflete mais sobre seu próprio comportamento e sobre o comportamento das pessoas ao redor. Dá mais trabalho, mas parece ser um tipo de viver de melhor qualidade, mais consciente, sabe melhor aonde ir e para aonde não quer ir, o que quer ser e o que não quer ser.

Vivemos momentos difíceis no mundo. Muitos empregados se perguntam: “Vou ser demitido(a)?” E conviver com isso é muito ruim. Desgasta. Estressa. Não dá para conviver muito tempo com esse clima e ter saúde, funcionar bem como pessoa e como profissional. Algo se perde. A empresa perde. O cliente perde. Você perde. Não se vive sob tensão emocional por muito tempo sem surgir sintomas físicos e/ou mentais.

Vivemos momentos difíceis na sociedade como um todo, nesse mundo que se tornou tão mau quanto nos tempos de Sodoma e Gomorra. Se não é igual é pior. Grandes empresas fecham as portas, ou reduzem drasticamente seu quadro de funcionários. Corrupção existe desde em meios eclesiásticos até naqueles que são pagos para controlar a ilegalidade (auditores, fiscais, juízes...). É o fim do fim.

O que pode ser feito? Vamos ver algumas idéias que me vieram à mente e que talvez possam ajudar. Saia do automático e pense:

1)Evite fofoca. Fofoca é coisa de pessoas inconseqüentes. O que é uma pessoa inconseqüente? É alguém que não mede suas próprias palavras. Não sabe o que está dizendo. Não pensa nas conseqüências de suas palavras. Fala sem pensar. Funciona só no automático irresponsável. Não sabe que não sabe. E aquele que não sabe que não sabe, pensa que sabe. E pode fazer muito estrago. A melhor coisa a fazer na hora da dúvida é perguntar, não fofocar! Num trabalho sério não é lugar para fofoqueiros. Se você quer continuar a ser fofoqueiro(a), é melhor ir para um lugar (medíocre) aonde isso é aceitável.

2)Pense antes de falar. Fale pensando no que você está dizendo. Valorize o impacto de suas palavras sobre outras pessoas. Alguém poderá ser destruído com suas palavras? O que e quem você poderá construir com suas palavras? Não diga se você não sabe. Se tem dúvidas, pergunte ao responsável. Não “detone” a instituição ou as pessoas por causa de seus problemas emocionais mal resolvidos ou o de outras pessoas. Tenha coragem de falar com a pessoa apropriada e com bons modos. Esclareça sua dúvida antes de passar informações deturpadas e inverídicas. As pessoas podem errar. Alguém disse apropriadamente que quem não erra não faz nada. Mas, lembre-se, há erros premeditados e erros acidentais. Não envenene seu ambiente. Não deixe o mau tomar conta de você.

3)Não desperdice. Seja tempo, material, energia elétrica, sua própria mente, seus talentos construtivos. O que você poupa no trabalho, você ganha no trabalho. Se cada um não aprender a poupar todos perderão. Você faz sua empresa, junto com os clientes. Você é importante na empresa. Creia nisso. Viva e trabalhe crendo nisso. Você é substituível sim, mas é insubstituível ao mesmo tempo porque só você pode fazer as coisas do seu jeito. Ninguém pode fazer igualzinho a você. Só existe um você na empresa e nesse mundo. A empresa não precisa de você se você não gosta dela, mas precisa de você se você coloca seu coração no trabalho e vibra com sua tarefa, fazendo seu melhor. A empresas não é as paredes, mobiliário e nem os equipamentos. Ele é você e todos os que trabalham aqui, junto clientes que buscam os serviços e produtos da empresa. Não se esqueça: você é importante! Você até certo ponto faz a empresa!

4)Comece por você. Faça primeiro, sem esperar pelo outro, o que é bom, correto, útil. Faça o que pode melhorar sua auto-estima e assim todos ganharão com você. Se vão aproveitar isso é problema dos outros. Não espere que outros façam o que é honesto e correto para você então fazer também. Acabe com a idéia de que “tem alguém me vigiando, por isso vou agir certo”, passando a funcionar baseado no “vou trabalhar legal porque isso é bom para mim, porque sou pago para isso e porque todos serão beneficiados com isso.” Tenha como lema na sua mente não o fato de que “tem alguém do outro lado me olhando”, mas sim “preciso cuidar de minha tarefa com responsabilidade e profissionalismo”, estejam olhando ou não. Se você só funciona com alguém “empurrando”, então você não funciona. Está fingindo. E isto não é honesto, não é bom nem para você, nem para a empresa. E se você quer continuar se enganando, a empresa séria não é seu lugar.

5)Entenda a missão da sua empresa. Pergunte sobre isto. Viva isto se você achar legal (dentro da lei e da ética). Vista a camisa da empresa que é justa com você.

Você quer que o estresse acabe no trabalho? Então, comece por você. Faça o seu melhor. Saia do automático e use o pensar e o sentir para agir conseqüentemente, com responsabilidade, com compaixão (não é pena, é com-paixão), com honestidade, sinceridade, com convicção de que você é uma pessoa importante dentre os funcionários e que está muito em suas mãos a vitória que todos querem e precisam para sua empresa.     


  Envie a um amigo

 Veja também
  O Vício da Urgência
  O que o criacionismo NÃO É
 
 
Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial