Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Quarta-Feira,
12 de Dezembro de 2018




Trabalhe Conosco
Especuladores estão pessimistas com ações


RELACIONAMENTOS

Érico Farias

Ficar - relação afetiva sem compromisso de natureza efêmera, e para usar as palavras do professor de psicologia José Sterza Justo, da UNESP, relacionamento breve, imediatista, volátil, descompromissado, passageiro. Seu caráter provisório está presente na abreviação dos vínculos empregatícios e na rarefação dos relacionamentos outrora sólidos e duradouros.

Certamente você ouviu falar ou sabe de alguém que ficou este final de semana. Que bom, né? ou não? A verdade é que 48% das pessoas entre 16 e 30 anos já ficaram pelo menos uma vez. Também é verdade que 42% das estatísticas são feitas na hora, como esta que citei sobre os ‘ficantes’. Mas essa prática se tornou, comum?

Commodity – Mercadoria em estado bruto ou com um pequeno grau de industrialização, produzido em grandes quantidades e por vários produtores. Podem ser estocados sem perda de significativa de qualidade, sua importância é que ela possui “negociabilidade” global, claro, com risco de perdas. Dado os nomes aos bois, passemos a crise.

Os bancos começaram em 2006 a negociar os produtos “subprime”, ou seja, produtos de alto risco para pessoas com histórico ruim (maus pagadores) da hipoteca. Os juros subiram de 1% para 5%. Os bancos, com a venda do “subprime” começam a ter dívidas. O banco central americano prevê US$ 100 bilhões de perda. Bancos injetam dinheiro em outros bancos para aumentar os créditos. Os bancos centrais dos países, então, iniciam a compra os papéis de bancos que entram em concordata, investidores entram em desespero. Crise mundial. Mas o que tudo isso tem a ver com o amor, namoro, ficar? Tudo! Alguém sempre saí pagando, e se não é você, é a outra pessoa. Decepções com os maus pagadores (de promessa), desculpa para início do “fast-love”.

Segunda feira. 10 horas. Na Bovespa começam os trabalhos. Na mente dos investidores só um pensamento: quanto vale as ações? , afinal de contas se o jovem não tomar uma atitude poderá perder a moça que está de olho já faz algum tempo. Outros, não querem acreditar que perderam e decidem “seqüestrar” e “liquidar” o melhor que já conseguiram á longo prazo, o “amor” (?) Os pais da moça, acionistas majoritários, não autorizaram as negociações, mas alguém se achou dono e como tal poderia descartar seu “bem” a qualquer momento. Um investimento de alto risco. Mas será que ninguém sabia disso?

O amor se tornou algo indispensável no mundo. Negociável em todo o mundo. Já percebeu que, quanto mais alguma coisa está em falta mais é procurada? Hoje você comeu ou poderá comer feijão, em outros lugares isso não existe mais. Claro, já é hora de uma referência bibliográfica aqui. O médico Lucas, autor de um livro com seu nome, diz que nos dias de crise isso iria acontecer. “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará”.

O mais curioso é sobre o destino que se deu ao namoro ( namoro: um momento antes do noivado e do casamento, sem fins lucrativos mas recreativos e sociais.) No entanto ele se tornou um compromisso tão, ou mais importante quanto o casamento. O que será que aconteceu com o namoro? Tudo começou quando algumas ações perderam valor. E as prioridades foram invertidas, o que não é aconselhável pelos economistas no momento de planejar um investimento. Até, acreditam alguns, que o namoro é a porta para o casamento.

O namoro é um momento, aparentemente sem um momento certo para acontecer, acredita-se que ele aconteça no período em que uma pessoa esteja madura suficiente para viver com outra e dar ao invés de receber, e como é difícil de isso acontecer no período onde o ser humano quer a total liberdade da vida, ao mesmo tempo que não quer responsabilidade, que contraste, não?

O namoro foi colocado como um compromisso tão importante quanto o casamento, que se tornou ponte direta para a união conjugal como se o namoro fosse o noivado, período de certeza do casamento.  Porque se tornou fase de conhecer o outro somente no sentido de beleza, afinidade, recreações, e pôr o amado (a) nos sonhos, enquanto a realidade, que é conhecer a si mesmo, se espera que aconteça depois do casório. “Quando nós casarmos eu mudo isso nele”. Outros lamentam. “Ele não era assim no namoro, búa!” (grifo nosso).

Então para não entrar no "sagrado namoro", ficam. Ficar se torna o teste para saber se pode namorar aquela pessoa. Se servir (ou beijar bem) pronto! Vamos namorar! e depois “A vida tem tristezas mil, nem tudo é um céu de anil (...)” O amor acaba então se tornando uma mercadoria. Os “clientes” são cada vez mais exigentes, querem mais opções de mercado, produtos personalizados. “Pode pegar, sem compromisso!”. E lamentam os resultados de suas ações, ou de outros, que nada mais valem. 
Uma relação social onde os dois indivíduos conhecem outros tipos de seres humanos em ocasiões diversas, é justamente esse o objetivo do namoro. E não é errado namorar várias pessoas ao longo da vida. 

Quem lê, entenda, o economês não é tão difícil.

Rapaz “Y”, tem suas características, valores, personalidade e namora Moça “X”. Passado algum tempo o namoro acaba. Rapaz “Y” agregou conhecimento sobre si mais o conhecimento sobre Moça “X”. Durante a vida de “Investidor” o Rapaz ”Y” namora Moça ”X”, “P”,”Q”,”Z”,”G”,”K”,”Ç” na sua vida inteira. Em outro momento encontramos o Rapaz ”Y” casado. Não porque o namoro o levou para o casamento, mas, casado, ele passou por vários namoros. Algo natural! Ele teve 4 tipos de conhecimento: 1.Ele se conheceu( passou por várias situações que o permitiu saber como (re)agiria), 2.Conheceu várias personalidades( O que o fez escolher uma em especial, que combinava com a sua, 3.Conheceu as relações entre casal ( problemas, tradições, família) e 4. A convicção maior da moça( Que eram parecidas com as suas, diferentes por questão de criação, mas o mesmo Deus). O mesmo para as moças que namoram ou pretendem investir este ano ainda.


Para saber mais sobre estes assuntos, alguns livros:

Carta a Jovens Namorados - Ellen G.White
De Bem Com Você - Marcos De Benedicto,Sueli Ferreira de Oliveira
Explosão Jovem - Paulo Pinheiro
Jeito de Ser - Claudia B.Schwantes,Marenos Schmidt
Mensagens aos Jovens - Ellen G.White
O Namoro Completo - Nancy L. Pelt
Proibido para Meninos, Indispensável para Meninas - Sonia Rigoli Santos
Sexo - Respostas Honestas a Perguntas Sinceras - Jorge M.Bruno,Marcos Bruno



  Envie a um amigo

Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial