Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Terça-Feira,
20 de Fevereiro de 2018




Trabalhe Conosco
Criatividade - um ato de coragem

Criar envolve, em primeiro lugar, um rompimento dos paradigmas pessoais e, em segundo, dos sociais

São Paulo, 11 de setembro de 2008

LIDERANÇA
Maria Inês Felippe*

A criatividade no mundo corporativo pode ser definida como a capacidade de agregar valor ao negócio por meio de novos produtos, serviços ou mesmo a reformulação dos serviços que já existem na empresa. Um executivo pode usar a criatividade a seu favor dentro de uma empresa utilizando os quatro C’s:

1 - Criatividade e Inovação Pessoal

Hoje, para obter sucesso é necessário além do conhecimento técnico, a habili-
dade para solucionar problemas, lidar com a diversidade, o que implica na
utilização da capacidade criativa, sendo proativo e quebrando paradigmas. A destruição mental de tudo que já existe é condição primordial para iniciar
o processo criativo. Criar envolve, em primeiro lugar, um rompimento dos paradigmas pessoais e, em segundo, dos sociais. Muitas vezes o criador acaba boicotando a sua própria criação com medo de ser criticado e não reconhecido.

Criar é um ato de coragem tanto no âmbito pessoal como social. Percebo que o primeiro passo é perceber-se enquanto pessoa e o que realmente gosta de fazer, o que faz bem, o que a alma aplaude e acima de tudo o lhe dá prazer. Esqueça o que está do lado, aqueles comportamentos padronizados ou até mesmo aquilo que as pessoas gostariam que você fizesse ou até mesmo fosse. Observe suas principais qualidades e aproprie-se delas.

Na empresa em que trabalha tente romper o comportamento mecanicista apresentando idéias de novos produtos, serviços, melhoria do que você já faz, como também do ambiente organizacional.

2 - Comunicação Assertiva

Como já dizia o Chacrinha: “Quem não se comunica, se trumbica”. Pois é, muitas vezes deixamos de colocar em ação uma idéia ou desejo por medo de não ser aceito, como também por não saber “vender” a idéia.

O primeiro passo é vender para si próprio. Por exemplo, você deseja mudar de carreira. Cabe a pergunta: já elencou todas as vantagens da mudança? Quais as vantagens e riscos? Você se convenceu de que é uma boa saída para a sua situação atual, está amadurecido da decisão e convencido da mudança de emprego ou de profissão? Se sim vá em frente. Se não, venda acima de tudo para você mesmo e depois para as pessoas que estão ao seu redor. Faça networking e comunique a algumas pessoas a sua decisão. Prepare-se para vender para seu chefe, desenvolva um projeto detalhado, utilize da sua criatividade, recursos disponíveis, sempre comparando a situação real e a desejada. Mas seja sempre muito claro, expondo o que pensa, o que sente e como vê e sente esta situação.

3 - Cooperação e Comprometimento

Caso você esteja querendo mudar de empresa e isso poderá acarretar resultados tanto para você quanto para as pessoas do seu convívio, compartilhe a decisão, principalmente, se ela afetar diretamente seus familiares, por exemplo. É preciso buscar ajuda. Você poderá obter apoio dos amigos também. A mesma situação poderá ocorrer se você estiver apresentando uma idéia para seu superior. Uma idéia sem ação é pura ilusão e será preciso buscar parceiros para fazer acontecer. Cada pessoa tem uma inteligência particular e quando se junta a de outras pessoas o resultado é uma criação muito especial. Pense quem pode lhe ajudar a criar algo realmente especial.

4 - Coordenação

Não podemos pensar em liderar as pessoas se somos dependentes, se não lideramos a nós mesmos. Reavalie todas as situações em que você está à frente de algo, coordenando, decidindo e seja honesto consigo. Como disse no começo deste texto analise a realidade. Em que momentos a sua liderança se sobressai? A clareza de objetivos em relação a sua própria carreira e vida faz com que atinja o que deseja. Fixe metas, prazos, e a forma para conquistá-los. O mesmo poderá acontecer quando apresentar uma idéia ao seu superior e ela for aprovada. É a oportunidade para fazer acontecer juntamente com seus parceiros, aqueles já mencionados no item acima. Mas, sem perder de foco que agora é a sua vez de coordenar, que você está consciente das ações necessárias para isso e que se planejou para tal.
Para ser uma pessoa criativa é preciso, em primeiro lugar, saber que a criatividade está relacionada com processos de pensamento, imaginação, intuição, originalidade, liberdade e não-censura. Quem tem medo do novo e do ridículo ou é auto-crítico demais acaba bloqueando sua criatividade. Então, se você está desempregado, quer mudar de emprego ou aventurar-se por novas áreas vai precisar de ousadia e criatividade para buscar oportunidades tanto na sua quanto em outras áreas. Busque orientação para despertar o ser criativo que está dentro de você.

Outras dicas:

• Procure observar a realidade e os acontecimentos sob vários ângulos
• Observe coisas novas
• Procure gerar idéias e melhorá-las (um exemplo é brincar com as idéias e estabelecer semelhanças)
• Aprenda com os erros e acertos
• Anote todas as idéias, mesmo as mais absurdas antes que você esqueça
• Mantenha acesa a chama do entusiasmo e do bom humor e você vai encontrar soluções para os problemas de forma criativa

E para quem exerce cargos de liderança, costumo dar os seguintes conselhos:

• Ouça mais e mande menos, permitindo a liberdade de expressão, ciente de que nenhuma idéia nasce perfeita.
• Dê tempo para seu subordinado crescer, compartilhe e em alguns casos desafie.
• Motive-se e motive, ou seja, partindo do ponto de vista individual, perceba, respeite e considere as diferentes necessidades dos seus colaboradores, utilizando-se disso para liderá-los.
• Estimule, permita que trabalhem com autonomia, sendo responsáveis por suas atitudes, dando o máximo de si e liderando os seus próprios comportamentos.
• Delegue, partilhe as responsabilidades, divida com seus colaboradores a decisão, dando-lhes liberdade para sugerir e agir. Atribua tarefas, responsabilidades e autoridades, buscando assim desenvolver ao máximo suas habilidades.
• Flexibilize-se, ou seja, adapte-se às diferenças individuais dos membros de sua equipe, tornando-se facilitador do processo, tomando, contudo, o devido cuidado para não ser paternalista. Flexibilize-se também frente às idéias.
• Possibilite a criatividade, pois o espírito inovador e criativo faz parte das características do indivíduo de sucesso, que precisa de liberdade para pensar, criar e agregar.
• Para inovar é preciso olhar para frente, pois da quantidade de idéias pode-se extrair a qualidade desejada.
• Pratique o “zoom criativo”, pensando e repensando sobre o negócio e a equipe. Trate o negócio com criatividade! Copiar um negócio é mais perigoso do que criar um novo. Temos que temer os modismos, pois o único ganhador é o que cria e não o que adapta.
• Lidere como exemplo: seja criativo.

* Maria Inês Felippe é psicóloga, pós-graduada em Administração de Recursos Humanos e Mestre em Criatividade e Inovação Aplicada pela Universidade de Santiago de Compostela, Espanha, e professora do INPG - Instituto Nacional de Pós-Graduação.


  Envie a um amigo

 Veja também
  A arte da possibilidade
  MaxiMídia 2008 discute assuntos relevantes da comunicação mundial
  Reimagine!
 
 
Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial