Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Sábado,
24 de Fevereiro de 2018




Trabalhe Conosco
Mastologia: a oportunidade do diagnóstico precoce do câncer de mama

No Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres. Se diagnosticado no início, tem ótimas chances de cura. A investigação precoce da doença permite tratamento com altos índices de cura

SAÚDE DA MULHER
Dica de Leilane Vasconcelos

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o número de casos novos de câncer de mama esperados para o país em 2006 era de 48.930, com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. Na região Sudeste, ele é o mais incidente entre as mulheres com um risco estimado de 71 casos novos por 100 mil.  Se diagnosticado em fases iniciais, tem ótimas chances de cura, com uma sobrevida de cinco anos em até 97% dos casos.

Por isso, o Hospital San Paolo investe no serviço de Mastologia com o intuito de promover a prevenção adequada, o diagnóstico precoce e, assim, proporcionar um alto índice de cura da doença. A área é dirigida pelo doutor Carlos Ruiz, atual presidente da Sociedade Paulista de Mastologia, e conta com profissionais de primeira linha para o atendimento dos casos.

O doutor Celso Luiz Borrelli, coordenador do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do hospital, explica que o diagnóstico precoce do câncer de mama além de permitir a cura da doença, permite tratamentos cirúrgicos conservadores, onde é possível preservar a maior parte da mama afetada. O auto-exame das mamas é recomendado para mulheres acima de 25 anos. A partir dos 35, além do exame das mamas, recomenda-se a realização de exames de imagem, como a mamografia e a ultrassonografia em caráter periódico.

Diante de alguma anormalidade nos exames a paciente no Hospital San Paolo é encaminhada ao mastologista e este irá iniciar uma investigação mais detalhada que pode incluir coleta de material suspeito por agulha fina ou biópsia com agulha grossa orientada por ultra-som.

Nos casos mais avançados, quando a retirada total da mama é indicada, a equipe de mastologia conta com o auxílio da doutora cirurgiã plástica Ana Cláudia, especialista em reconstrução das mamas após o tratamento do câncer.


Fatores de risco

Estudos científicos mostraram que existem alguns fatores que aumentam a chance de aparecimento da doença. Um destes fatores é a idade, pois a maioria dos tumores de mama aparecem em mulheres acima de 50 anos. Mulheres com longa história menstrual (iniciaram a menstruação antes dos 12 anos ou tiveram menopausa após os 55 anos), obesidade, e uso inadequado de hormônios são mais propensas a apresentar essa patologia. Antecedentes pessoais ou familiares de câncer de mama constituem um dos mais importantes fatores de risco.

Quando o diagnóstico é tardio

As pacientes que têm um diagnóstico tardio (tumores acima de 2 cm) são tratadas de forma mais agressiva, seja pela cirurgia ou pela utilização de quimioterapia prévia à cirurgia.

Linfonodo Sentinela

O tratamento cirúrgico do câncer de mama, além da abordagem da glândula,  inclui a retirada dos linfonodos (gânglios) da axila do mesmo lado da mama doente, para avaliar se a doença já migrou.  Isso indica a necessidade de terapia suplementar com quimioterápicos. Atualmente, por meio de técnicas específicas, como o estudo do chamado “linfonodo sentinela”, pode-se decidir se o restante dos gânglios deverá ser abordado ou não.

De acordo com o doutor Celso Borrelli, todo serviço apto ao atendimento à saúde da mulher deve promover o rastreamento do câncer de mama buscando o diagnóstico precoce.  “O índice dessa doença só poderá ser reduzido no Brasil, quando for possível proporcionar cuidados de forma ampla e democrática onde todas as mulheres brasileiras possam ter acesso aos exames de rastreamento.”, afirma o especialista.

Uma vez realizado o tratamento cirúrgico e estabelecido o estádio da doença, a maioria das pacientes precisará de tratamento complementar, através da hormonioterapia e/ou da quimioterapia. O Hospital San Paolo também conta com um grupo de oncologistas clínicos para realizar os tratamentos complementares referidos.

Com o objetivo de proporcionar total atendimento à mulher, o hospital já realiza exames de ultra-som para dirigir biópsias de mama e punções de nódulos e permitir o diagnóstico precoce da doença. Em futuro breve o serviço de Radiologia do hospital contará com o serviço de mamografia.



  Envie a um amigo

 Veja também
  "Visão" supera falta de vista
  Palestras sobre infertilidade na Anhembi Morumbi
  Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês divulga programação
 
 
Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial