Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Quinta-Feira,
26 de Abril de 2018




Trabalhe Conosco
O poder da Governança Corporativa nas pequenas e médias empresas

Especialista mostra o valor da importância da Governança Corporativa nas pequenas e médias empresas

Empreendedorismo - A prática dos princípios de transparência, equidade e responsabilidade pelos resultados perante os fundadores, sócios e herdeiros ajudam a evitar conseqüências desagradáveis geradas por muitos conflitos típicos de empresas familiares ao longo do tempo. Estima-se que cerca de 85% das empresas enfrentam problemas dessa natureza atualmente.

 A falta dos valores de governança corporativa é o fator que mais potencializa os conflitos e muitas vezes, põe em risco a própria sobrevivência de muitas empresas de natureza familiar, justamente pela falta de transparência e unidade de entendimento do negócio junto aos familiares que estão fora da administração da empresa. Outras vezes é o tratamento distinto entre os familiares com direitos iguais, ou ainda, a falta de responsabilidade pelos resultados daqueles que estão na administração da empresa frente aos que não estão, que provocam tantos conflitos, chegando muitas vezes a comprometer a sua continuidade do negócio.

 “Uma das maiores importâncias da Governança Corporativa é que ela perpetua a marca da empresa e a sobrevivência dela, mantendo assim, o sonho do fundador”, explica Domingos Ricca, especialista em pequenas e médias empresas.

 A adoção de governança corporativa possibilita muitas vantagens, como, por exemplo, a redução de riscos do processo de sucessão; o controle e geração dos negócios familiares através de um Conselho de Administração assegurando aos fundadores o direito de se afastar, paulatinamente, das operações, sem comprometer a performance e a continuidade da empresa; o treinamento para os sucessores através de suas participações no Conselho, proporcionando mais chances de estabilidade da empresa e dos negócios, não dependendo eminentemente da pessoa do fundador para isso.

 Além disso, proporciona aos principais acionistas ou sócios, condições de atuação e participação na gestão das empresas e dos negócios, não estando necessariamente envolvidos nas operações, conduzidas por equipes profissionais.

 A Governança Corporativa melhora a qualidade da gestão através da contribuição de conselheiros da família e externos qualificados e reconhecidos no meio empresarial. Certos agentes de mercado como bancos, fornecedores, parceiros de grande porte, multinacionais, governo, não vêem com bons olhos a empresa familiar quando ela atinge certo estágio de estagnação e convive com os conflitos familiares já mencionados. A prática de uma boa governança corporativa melhora a imagem junto a esses agentes.

 “Em suma, a Governança Corporativa auxilia a profissionalização da empresa, dentro dela o processo sucessório e o crescimento da empresa e quanto mais ela crescer, mais empregos irá gerar. Por este motivo, que as pequenas e médias empresas são as maiores geradoras de emprego do nosso país”, conclui Ricca.

Para mais informações acesse o site da Revista Empresa Familiar – http://ww.empresafamiliar.com.br.

Lizandra Cardelino

 


  Envie a um amigo

Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial