Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Terça-Feira,
18 de Dezembro de 2018




Trabalhe Conosco
Problema de segurança elimina 7 de 9 secadores testados

Pro Teste constata que produtos pioraram: consomem muita energia e podem queimar o cabelo

São Paulo, 07 de maio de 2008

CONSUMO
Da Assessoria de Imprensa


A Pro Teste - Associação de Consumidores testou os 9 secadores de maior presença no país e 7 deles foram eliminados por terem graves problemas de segurança elétrica. Os 2 que se salvaram não podem ser indicados, pois deixam a desejar no desempenho. A situação só piorou em relação ao teste feito anteriormente,  há 5 anos, quando dos 9 aparelhos testados, 4 foram eliminados. O respeito por parte dos fabricantes em relação a seus consumidores parece diminuir.

Foram testados os secadores de cabelo das marcas: NKS TS 63 ; Faet SC 103;
Arno Infini Pro; Britânia SP 2100;Britânia SP2400; GA.MA Italy Salon 3000; Mallory Fusion 3000; Taiff Flash ceramic; Black&Decker SC 838. Apenas o NKS e o Arno não foram eliminados.

Entre os aparelhos que não oferecem risco, o NKS é a melhor opção. Por sua baixa vazão, ele pode demorar um pouco mais que outros para secar o cabelo, mas, em compensação, a temperatura do vento é a ideal e não prejudica os fios.

Risco de choque e curto-circuito foram encontrados nos sete secadores por falta de proteção contra o acesso a partes vivas – ou seja, os plugues não têm luva de proteção. Pode-se levar um choque com o plugue parcialmente introduzido e o perigo é ainda maior se o consumidor estiver em local úmido (como um banheiro impregnado pelo vapor de um banho quente).

Como o secador é um aparelho que se tira e coloca na tomada a toda hora e, principalmente, usado em locais úmidos, esses aparelhos são um grande risco. Apenas o Faet e o NKS (C) têm a luva de proteção. Já é lei no Brasil que os aparelhos eletrônicos tragam esse pequeno e barato equipamento de segurança. Após anos lutando para isso, a Associação de Consumidores conseguiu convencer as autoridades para o problema e a obrigatoriedade de luva nos plugues passou a valer desde agosto do ano passado.

O nível de ruído também foi avaliado. A poluição sonora encontrada foi de níveis muito acima do aceitável de acordo com a norma brasileira (ABNT) e as normas de saúde internacionais – que seria de, no máximo, 50 decibéis. Todos os aparelhos apresentaram níveis acima de 77 decibéis. É possível ter problemas de audição se o consumidor se expuser freqüentemente e por um tempo prolongado a esse ruído.

Para quem já tem algum dos aparelhos perigosos em casa e não pretende inutilizá-lo, a Pro Teste recomenda  tomar muito cuidado ao conectá-lo à tomada. Além disso, não utilizar o aparelho no banheiro ou outro local úmido e ficar sempre calçado ao manusear o secador ligado.


  Envie a um amigo

Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial