Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Segunda-Feira,
10 de Dezembro de 2018




Trabalhe Conosco
Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro

Programa lançado pelo Ministério da Educação (MEC) e Itaú Social tem objetivo de melhorar a formação de professores e estimular leitura e escrita em escolas públicas de todo país. Projeto vai alcançar 6 milhões de estudantes dos ensinos fundamental e médio

São Paulo, 19 de fevereiro de 2008

EDUCAÇÃO
Da Assessoria de Imprensa

O Ministério da Educação e a Fundação Itaú Social lançam oficialmente hoje, às 19h, no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, a “Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro”. O projeto tem como objetivo levar para a sala de aula novas metodologias de ensino que estimulem a leitura e a escrita nas escolas públicas.

A expectativa é que a iniciativa alcance 6 milhões de estudantes, 73.118 escolas e 200 mil professores em 4.450 cidades, cobrindo 80% dos municípios brasileiros. As inscrições para participar do programa têm início hoje, 19, e se encerram em 14 de abril. A Olimpíada destina-se a professores e alunos do ensino fundamental e médio de escolas públicas (ver quadro 1).

De acordo com a secretária de Educação Básica, Maria do Pilar Lacerda, a Olimpíada pretende melhorar o ensino de língua portuguesa nas escolas públicas: “Trata-se de um projeto inovador por não se resumir a uma competição. É um processo de formação dos professores para que trabalhem de maneira cada vez mais profunda na produção de textos nas escolas públicas brasileiras”. Para ajudar os alunos a se preparar, os professores receberão um caderno de orientação metodológica, manuais de produção de texto, guias de avaliação das redações e poderão participar de debates virtuais com pesquisadores da área. Entre abril e agosto, serão realizadas oficinas de produção de textos nas escolas.

Para o vice-presidente da Fundação Itaú Social, Antonio Matias, a educação de qualidade é fundamental para elevar o Brasil a um novo patamar de desenvolvimento sustentável, ampliar oportunidades para as novas gerações e atender necessidades de uma realidade econômica e social cada vez mais complexa. “O programa capacita professores e alunos para o aprimoramento da leitura e da escrita, instrumentos básicos de cidadania e inserção no mercado de trabalho. É uma metodologia moderna, envolvente e que pressupõe a reflexão sobre a realidade dos alunos. Um programa que valoriza a relação entre alunos e professores em sala de aula, incentivando o aprendizado”, afirma.

O programa contempla o investimento de R$ 15 milhões na produção de diferentes materiais didáticos, em oficinas de leitura e campanha de divulgação. Os recursos serão destinados também para transporte e hospedagem de estudantes, professores e equipes de formação nas fases de oficinas regionais e na etapa conclusiva do projeto.

Política pública
A Olimpíada dá nova dimensão ao programa Escrevendo o Futuro, criado em 2002, pela Fundação Itaú Social, em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). Neste ano, a iniciativa passa a contar com a parceria do MEC, se transformando em uma política pública de educação, sob coordenação do Governo Federal. Foram realizadas três edições bienais do Escrevendo o Futuro, com mais de 3,5 milhões de alunos inscritos no País. Em 2005, o programa recebeu o Prêmio Top Social, pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), e o Prêmio Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), na categoria Organização, que destaca experiências, personalidades e organizações que ajudam o Brasil a avançar nas metas da Organização das Nações Unidas (ONU).

Temática
O Lugar Onde Vivo é o tema central da Olimpíada e será desenvolvido em três gêneros textuais — poesia, memória e artigo de opinião. “A idéia é que os alunos reflitam sobre os desafios de sua comunidade e expressem suas idéias nos textos”, diz Antonio Matias. No total, a Olimpíada terá cinco etapas. Na primeira, representantes dos pais, professores e da comunidade irão selecionar até 134 mil textos. Na segunda fase, especialistas em língua portuguesa e representantes das secretarias de ensino, universidades e comunidade terão a missão de escolher até 25 mil melhores trabalhos. Posteriormente, a Olimpíada entra na fase em que serão definidos os 500 semifinalistas. Estes trabalhos seguem, depois, para a etapa regional, de onde sairão os 150 textos que concorrerão à final.

Para aprimorar seus trabalhos, os alunos que alcançarem este estágio passarão por oficinas de leitura e escrita nas cidades-pólo do programa: Belo Horizonte (MG, ES e RJ); São Paulo (SP); Curitiba (Região Sul); Goiânia (Centro-Oeste) e Belém (Região Norte). Os estudantes e professores do Nordeste participarão de atividades em Fortaleza (Maranhão, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte) e Recife (Alagoas, Bahia, Pernambuco, Paraíba e Sergipe). A última etapa será marcada pelo encontro dos 150 finalistas, em Brasília, onde serão escolhidos os 15 vencedores.

Premiação
Os 500 alunos e professores semifinalistas receberão medalhas de bronze e coleção de livros. Os 150 finalistas, alunos e professores, medalhas de prata e aparelhos microsystem. Aos 15 vencedores, alunos e professores, na etapa nacional serão entregues medalhas de ouro, computadores e impressoras. As escolas nas quais estudam os 15 selecionados serão contempladas com laboratórios de informática, compostos por dez microcomputadores e uma impressora, além de livros para a biblioteca. Os municípios de origem dos vencedores receberão selo concedido pelo MEC.

Inscrições
Para participar da Olimpíada, o primeiro passo é a adesão da rede de ensino. No caso das escolas municipais, o prefeito e o secretário municipal de ensino devem assinar o termo de adesão. No caso das estaduais, a inscrição fica a cargo do secretário estadual de educação. O formulário está disponível nos sites do MEC (
www.mec.gov.br), da Fundação Itaú Social (www.fundacaoitausocial.org.br), do Cenpec (www.cenpec.org.br) e do programa (www.escrevendoofuturo.org.br).

Os formulários podem ainda ser retirados nas agências do Banco Itaú, nas sedes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, do Conselho Nacional dos Secretários de Educação e nas secretarias municipais e estaduais de educação. Depois de preenchido e assinado, o termo deve ser enviado à coordenação da olimpíada, pelo correio, até 14 de abril, para o seguinte endereço: Caixa postal 34729-9, CEP 01452-970, São Paulo SP. Após a adesão dos estados e municípios, as escolas que tiverem pelo menos um professor interessado devem efetuar o mesmo procedimento para se inscrever. Não há limite de professores por escola.

Quadro 1

Quem pode participar
Municípios do território brasileiro
Escolas públicas de Ensino Fundamental e Ensino Médio e seus professores que atuem com:
Alunos de 4ª, 5ª, 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental (ou séries equivalentes do ciclo de 9 anos)
Alunos de 2º e 3º anos do Ensino Médio

Cronograma de atividades:
Adesão das redes de ensino e inscrição das escolas: de 19/02 a 14/04
Envio do texto para o município: até 18/08
Envio do texto para o estado: até 08/09
Comissões estaduais: de 1º a 10/10
Oficinas regionais: 21/10 a 19/11
Comissão finalistas: 20/11
Comissão final: 21 a 30/11
Premiação nacional:1º/12


  Envie a um amigo

Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial