Expediente Fale Conosco Nossas Igrejas Departamentos Quem Somos APS On-line Menu Principal Quem Somos APS On-line Departamentos Nossas Igrejas Fale Conosco Expediente

Domingo,
23 de Setembro de 2018




Trabalhe Conosco
VOCÊ TEM MATURIDADE PROFISSIONAL?

Leo Fraiman preparou um teste que pode te ajudar a descobrir que potencialidades precisa trabalhar. Acompanhe na matéria de Naísa Modesto, do portal Carreira e Sucesso, do grupo Catho.

CARREIRA
Naísa Modesto
Carreira & Sucesso


Maturidade não se limita à sua vida pessoal. Certas características pessoais têm cada vez mais impacto no seu desenvolvimento profissional.

Além da sua formação acadêmica e suas experiências profissionais, boa postura e habilidade no relacionamento interpessoal também podem influenciar seu crescimento profissional.


EM QUE FASE VOCÊ ESTÁ?

Um olhar atento às suas reações pode ser o primeiro passo para identificar suas dificuldades, mas a ajuda profissional também é importante.

O psicoterapeuta Leo Fraiman, mestre pela USP (Universidade de São Paulo) e especialista em Psicologia Educacional, explica que, se o jovem profissional encontra defasagem na questão social, pode procurar cursos voltados ao trabalho em equipe para formar essa competência. Ou, em alguns casos, pode recorrer à Psicoterapia para entender melhor suas dificuldades de convivência com as outras pessoas e aprender a lidar melhor com a convivência em sociedade. "Hoje as empresas têm seus quadros de funcionários cada vez mais reduzidos e a socialização é muito importante, assim como o trabalho em equipe e a sinergia. É difícil imaginar alguém que não tenha um contato próximo com outros profissionais, em qualquer que seja a área", afirma.

VOCÊ É MADURO PROFISSIONALMENTE?

Para auxiliar as pessoas a identificar seu grau de maturidade profissional, Fraiman desenvolveu um teste – bastante utilizado por pessoas que estão iniciando suas carreiras.

Para acessar o teste, visite o site de Fraiman, clicando aqui.

O objetivo do teste é mensurar a adaptabilidade do jovem às situações que enfrentará na carreira, "É mais utilizado até para avaliar uma série de fatores que eu chamo de competências comportamentais e ‘atitudinais’, que envolvem a polidez, a disposição para aprender, a inteligência emocional e a sociabilidade". Essas características podem avaliar a capacidade do indivíduo de se adequar ao sistema, ser bem visto pelos colegas e até estimular seu superior a apoiá-lo, orientá-lo e motivá-lo, principalmente se estiver no começo de carreira. "O jovem não deve ficar esperando passivamente até que alguém o oriente. Ele tem de ir atrás, pedir trabalho e procurar assumir responsabilidades", explica o psicoterapeuta.

BUSCANDO DESENVOLVIMENTO

Os jovens em início de carreira podem ter seu desenvolvimento comprometido em casos como: pais superprotetores, escolaridade defasada, capacidade de análise deficiente, falta de leitura, arrogância, agressividade e timidez excessiva.

Quando essas situações são identificadas, é preciso trabalhar em cima delas, procurando minimizá-las de acordo com o que é possível.

Outro fator que preocupa os recém-chegados ao mercado de trabalho é como manter a qualidade de vida quando estiverem trabalhando, de modo a preservar a vida pessoal, os hobbies e namoros. "Vejo um número cada vez maior de jovens que querem acertar e entender como se desenvolver."

A dica de Fraiman é saber que tipo de aprimoramento ele precisa, ter bom relacionamento no ambiente de trabalho, não ser arrogante (mas também não ser passivo) e encontrar uma postura assertiva para se colocar bem na empresa.


  Envie a um amigo

 Veja também
  Feira do Vestibular recebe inscrições de escolas para visitas em grupos
  Estudantes recebem orientações sobre carreiras e cursos na Advest 2007
  "Para o céu, mas porque não graduados!?"
 
 
Site UCB Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial Escolas Adventistas Portal Adventista Página Inicial